FOI BOM ENQUANTO DUROU...

FOI BOM ENQUANTO DUROU...
Conforme já tinha anunciado, este foi o último desta série de publicações do «Notícias de Espinho». Tenho recebido incontável número de emails a saber porquê tomei esta decisão, a dar-me incentivos de toda a espécie, inclusivé para passar a jornal impresso, em lugar de digital, mas não vou ceder. Tenho pena, até porque já mereceu a atenção de mais de 60 mil leitores. Tive propostas de todas as espécies, o que mostra o interesse que as pessoas longe do seu país demonstram pelas notícias na hora, pelas sugestões apresentadas, enfim, pelo empenho e pelo bairrismo que todos sentimos de ver esta cidade de Espinho cada vez mais atraente e ao nível das mais famosas. Assim não tem acontecido, mas tenhamos paciência. Esta edição do «Notícias de Espinho» sucedeu ao «Espinho Beach», que em breve poderá dar lugar a outra publicação, que está em estudo, apenas para textos e fotos, sem publicidade nenhuma, mas a seu tempo darei informações. Este título vai «hibernar». Um grande abraço para todos os leitores e votos de feliz ano de 2014. O mail zonabel@gmail.com, continuará sempre ao vosso dispor.

Novembro 08, 2013

CUIDADO: A AVENIDA 24 É UM PERIGO PARA QUEM A ATRAVESSA

Já tenho vindo a alertar as imensas reclamações de uma boa parte da população espinhense, que diariamente, a várias horas do dia ou da noite, têm de atravessar a Avenida 24 (EN 109) e ficam sujeitos a eventuais atropelamentos, dado que esta artéria da cidade é algumas vezes transformada em pista de correrias.
Convém a repartição de trânsito municipal não esquecer que a avenida 24 separa Espinho em duas metades populosas. Logo, a necessidade de dotar todos os sete cruzamentos não contemplados pela sinalização luminosa, de passadeiras, bem visíveis, para refrear o ímpeto dos senhores automobilistas. De salientar que nesta artéria já tem havido acidentes muito graves, com mortes, devido a este estado de negligência. Há umas décadas atrás, o setor a montante da avenida 24 era bem mais desertificado e o volume de trânsito não se pode comparar com o atual. Hoje a zona leste de Espinho está completamente povoada, com muitos milhares de pessoas a residir, pelo que se torna necessários cuidados redobrados no atravessamento da avenida 24, bem como a sinalização de limite de velocidade, que ninguém respeita.